domingo, septiembre 01, 2013

Não pode haver discriminação em relação aos médicos cubanos que estão chegando ao Brasil.

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) disse na última quinta-feira (29) que não pode haver discriminação em relação aos médicos cubanos que estão chegando ao País para participar do programa Mais Médicos, do governo federal.
Entretanto, o provável candidato ao Palácio do Planalto em 2014 disse ser necessário checar se a diferença de salário a que esse profissionais estrangeiros são submetidos, comparada com o que recebem médicos vindos da Europa, não e inconstitucional. Além disso, "temos de garantir que eles recebam a mesma remuneração dos outros. Eu temo que essa discriminação de alguma forma possa afrontar a Constituição".
— Não tenho qualquer reparo a fazer sobre a origem dos médicos e vejo a necessidade de levarmos mais médicos para regiões mais remotas do Brasil. Mas temos de garantir que eles recebam a mesma remuneração dos outros. Eu temo que essa discriminação de alguma forma possa afrontar a Constituição.
O tucano disse ainda que os médicos deveriam passar pelo Revalida (Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos). A vinda dos médicos estrangeiros causa polêmica desde o último final de semana, quando cerca de 650 profissionais chegaram ao País.
— A indagação que faço é essa. No momento em que eles terão remuneração menor que médicos vindos de outros países, mas exercendo a mesma função, a partir do ponto de vista que não podem trazer suas famílias... Isso não pode acontecer.

A nota recebida por e-mail do Professor Castro Rodríguez

1 comentario:

z carlos dijo...

Procure informar-se e veja que o salário do médico cubano é superior ao salário dos médicos contratados pelo governo de Aécio Neves, no estado de Minas Gerais.