miércoles, febrero 05, 2014

Médica Cubana solicita asilo político ao Brasil.

A exploração pelo contrato com o Programa #MaisMédicos e decreto de prisão em cuba seriam os motivos.
No lançamento do programa Mais Médicos o médico e Deputado Federal Ronaldo Caiado (DEM) já havia falado na câmara que forneceria assessoria jurídica aos médicos da ditadura dos Castro que desejassem solicitar asilo político ao Brasil. A motivação da época foi o já conhecido regime de venda de serviços médicos pelo governo cubano a nações como a Venezuela, o que era tido como exploração escravista moderna.
Dra. Ramona Matos
O contrato até então era nebuloso pois apenas especulações dizia o quanto o médico “contratado” receberia no país que atuasse e o quanto ele receberia quando voltasse a cuba.
Ontem o Deputado recebeu pedido de auxílio de Ramona Matos Rodriguez, médica cubana que atuava em Pacajá no Pará. A médica entregou cópia do contrato que assinou com a empresa “Comercializadora de Serviços Médicos Cubanos S.A.” que intermedeia a convocação dos cubanos para trabalharem mundo afora.
Segue abaixo a declaração de Caiado no Facebook a respeito da ação e a cópia do contrato assinado pela médica.
“A médica cubana Ramona Matos Rodriguez, que veio a o País trabalhar no Mais Médicos, fugiu do regime ditatorial cubano. Ramona estava na cidade de Pacajá. Cansada de ser explorada pelos governos brasileiros e cubanos, fugiu no último sábado e nos procurou.
Ramona pediu ajuda a nós para conseguir asilo político. Vocês se recordam quando fizemos o alerta sobre o escândalo que era o Mais Médicos. Eu alertei que os médicos cubanos receberiam uma parte muito pequena dos R$ 10 mil pagos pelo Brasil, que eles seriam explorados.
Ramona nos entregou cópia do contrato assinado. E sabe qual a surpresa? O contrato é intermediado por uma empresa que funciona como “gato”. A “Comercializadora de Servicios Médicos Cubanos S.A.” é a responsável pelos contratos. Ela [ a médica ] recebe 400 dólares (R$800) dos R$ 10 mil. Outros 600 dólares (R$ 1200) são depositados em uma conta cubana e supostamente seriam pagos quando o médico retornasse. E o restante dos R$ 10 mil mensais? Para o bolso dos ditadores Castro.
Já falei com a Comissão de Direitos Humanos da OAB e vamos entrar com o pedido de asilo, amanhã, no Ministério da Justiça! Se Ramona voltar para Cuba, será presa. A Polícia Federal já está atrás dela. Grampearam o seu telefone. A Liderança do Democratas agora é a embaixada de apoio aos refugiado cubanos. Ela vai ficar aqui. Daqui só sai quando estiver segura.” – Dep. Ronaldo Caiado pelo Facebook
Somente uma pessoa que vive em condições miseráveis em seu país assinaria um contrato tão vil como este. Há quem não queira definir isso como um regime de escravidão moderno, mas qual seria a definição? Coronelismo pós socialismo? Exploração do proletariado?…
Podem ser inúmeros os adjetivos que incubem a esse programa e devemos frisar alguns deles: Populismo, aquisição de votos para as eleições de 2014 e, principalmente, a possível constituição de um caixa 2 internacional para ser aplicado na reeleição do Executivo nacional são os principais focos desse nebuloso (tenebroso?) programa editado há apenas 6 meses.
Nota do Editor: Este artigo publicado no Blog em Português. No site da Academia de Medicina no Brasil. Curiosamente, acompanhada por algumas fotos do contrato de trabalho do médico cubano que pediu asilo político.

Esta informação contradiz as afirmações dos governos do Brasil e Cuba, e questiona a intermediação da Organização Pan-Americana da Saúde (OPS)